Maio 02 2009

 

 

A Crise, realça o comportamento corrosivo de pseudo empresários que, ao aproveitaram-se do abrandamento da contestação operária que o fantasma do desemprego gera, provocam falências encapotadas que mais não são do que falências fraudulentas.
Com o objectivo de libertar os seus lucros ilícitos das obrigações sócio-empresariais, limitam os seus prejuízos às unidades fabris que abandonam, decepadas de meios financeiros e de equipamentos válidos, previamente subtraídos.
Mantêm o seu elevado nível de vida apoiado em gordas contas bancárias e em investimentos especulativos e de agiotagem.
São os intocáveis desta folclórica Democracia.

 

João de Oeiras

publicado por salfino às 19:51

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO